Pesquisar

terça-feira, 21 de agosto de 2018

TOP 10 | Piores perfumes (nacionais e importados - minha opinião pessoal)

Costumeiramente, compramos perfumes para nos sentir bem. Uns usam em prol do bem estar, outros usam para agradar uma ou mais pessoas. Mas às vezes, na tentativa de impressionar, acabamos ultrapassando os limites, e o que era pra perfumar, acaba virando uma baita catinga. E é com isso que fiz esse post pra vocês, relatando minhas piores experiências com a perfumaria.



Minha lista foi baseada em dois pontos: potência e qualidade de matérias-primas. Geralmente, perfumes fortes em algum aspecto (floral demais, doce demais) costumam ser polêmicos, os famosos "ame ou odeie", e comigo eles acabaram indo para a segunda opção. Qualidade de matérias-primas é porque conseguimos perceber que alguma coisa ali está estranha, pois não entrega o que esperamos e acaba por nos causar um mau estar tremendo. Cientes desses pontos, vamos então à nossa listagem ingrata:

  • Joop! Homme: a mistura floral intensa com uma baunilha melada e um couro envelhecido não ficou das melhores em mim. E pro meu olfato, o Joop não fica bom na pele de ninguém. Extremamente invasivo e enjoativo. Passo
  • New Brand Sport for Men: não consigo explicar como uma marca de contratipos se dá o trabalho de criar algo tão insosso e de baixíssima qualidade. O perfume tenta ser algo que não é, entrega um doce esquisito licoroso mesclado com um sândalo e musk sintéticos e jocosos, que causam náuseas facilmente. Terrível
  • Lou Lou (Cacharel): um clássico, concordo. Mas poderia perfeitamente ficar no passado. Sua tuberosa é sufocante, e combinada com outras flores e uma base resinosa e incensada, lembra cheiro de boneca. Uma obra-prima pra uns, e revertério pra outros. Polêmico, amado e odiado. Certa vez cumprimentei uma colega de faculdade que tinha passado ele no rosto, e notei que o perfume tinha ficado em mim. Resultado: pressão baixou e precisei de um plasil pra segurar os vômitos. Não recomendo nem de graça
  • Cúmplicce (Lacqua di Fiori): a Lacqua acerta em manter grandes clássicos da década de 80 em seu portfólio atual, mas quando eu sinto o cheiro desse perfume, não consigo pensar em outra coisa a não ser em "quero sair logo daqui"! Inspirado no Poison da Dior, entrega algo bem próximo, o que é bom pra uns e péssimo pra outros. Cruzes
  • Silver Scent (Jacques Bogart): o famoso baladeiro de baixo custo com cheiro de halls uva verde agrada até certo ponto, depois começa a virar uma coisa esquisita. Seu corpo floral esfumaçado me lembra o daquelas lojas de artigos religiosos, e que me baixa a pressão na hora. Dispenso
  • Vivid Angel (Paris Riviera): poderia ficar até amanhã falando dos perfumes da marca, que entrega desde produtos razoáveis pra bons até péssimas replicações. E o Vivid é uma das péssimas. Tentou ser o 212 VIP feminino e passou longe, bem longe. Pra piorar, tem um ingrediente no perfume que traz um cheiro rançoso, estranho, como se sua roupa tivesse pego cheiro de fritura de uma pastelaria e essa mesma roupa fosse guardada por um mês dentro de um armário. O resultado não preciso comentar....socorro!!
  • Le Male (Jean Paul Gaultier): sucesso de vendas, um dos maiores campeões de elogios de todos os tempos no mundo, é um dos maiores vilões do meu olfato. Sua composição olfativa não me agrada em nada, é pesado, sem harmonia, abre mentolado/gelado e termina quente demais, uma baunilha + tonka sintética de qualidade questionável junto de um cedro seco e irritante, que me dão uma dor de cabeça eterna. Resultado: uma cartela de dipirona e mau humor pelo resto do dia. Ninguém merece
  • Gabriela Sabatini: um campeão de vendas por aqui, mas que tem um cheiro que incomoda quem sente perto por mais de 10 segundos. Um jasmim ultra sintético e medonho embebido de muito musk igualmente sintético que resultam em um belo talco engarrafado. E por ser barato e overpower, vende como água. Enfadonho
  • Urban Spirit (Phytoderm): alguém disse que ele seria um dia contratipo do 212 Men, mas esse dia certamente nunca irá chegar. Péssima e frustrada tentativa de tentar imitar um dos maiores sucessos da perfumaria mundial. Entrega tudo da mais baixa qualidade, desde os ingredientes até a embalagem. Além de não ser parecido, fede a ranço. Tenebroso
  • Animale Eau de Parfum: um dos maiores overpower sem noção que já senti na minha vida. Uma rosa sintética misturada com mel e cravo potencializados por notas animálicas. Um resultado que derruba qualquer anosmia, porque é forte demais, incomoda demais, invasivo demais, e.....apavorante demais. Respeito todos que gostam dele, mas no meu caso, não rola não. Sufoca até causar falta de ar e mal estar. HORRÍVEL.
Confira nossa análise polêmica e bem humorada também em vídeo:



E aí, o que achou da lista? Trocaria algum? Achou injusta? Mande um e-mail pra gente (clique AQUI pra enviar) ou comenta lá no canal! Sua opinião é muito importante pra nós.

Forte abraço!